Tag Archives: cidade

A escova de dente comunitária

13 abr

Gente, intimidade é mesmo uma coisa estranha. No mês passado, quase tive uma crise de nervos na casa do Príncipe, ao perceber que a minha bendita escova de dente não estava na bolsa. Vejam só o que aconteceu:

Magalice: – Acho que vou deixar uma escova aqui para dias como este.
Príncipe: – É uma boa idéia.
M: – Eu detesto ficar sem escovar os dentes…
P: – Amor, mas aqui em casa tem escova de dente. Acabei de lembrar!

(Meu sorrisão se abriu na mesma hora!)

M: – Jura??! Ai, eu quero!!
P: – Eu te empresto. Só tenho que ver com a minha mãe onde está…
M: – Mas calma aí, é nova, né?!
P: – Nova? É, amor, de certa forma, é sim…
M: – Cumassim??!
P: – É uma escova reserva. Meus primos sempre usam quando estão aqui.

(Gente, como assim ele me fala isso com a maior naturalidade do mundo??!)

M: – Ah, você só pode estar brincando comigo…
P: – Não, não… quer ver? MaaaanhêêEÊêêÊ onde é que est….!

(E ela trouxe, gente!)

Vocês não têm idéia de como fiquei assustada com essa família depois disso… (risos) Escova de dente comunitária é uma coisa que nunca vi na vida! Debochada que sou, agora não deixo passar uma oportunidade de dar uma sacaneada básica no menino.

Ontem à noite, na hora de escovar os dentes, travei nossa primeira batalha. De um lado, a minha Oral B pink. Do outro, o Príncipe com sua Oral B ultra dark. Seria declarado o vencedor quem conseguisse enfiar sua “arma” na boca do outro primeiro. O prêmio seria escovar os dentes do perdedor com a própria escova, transmitindo seus germes e bactérias (e, claro, inutilizá-la para sempre). E adivinhem só quem venceu! (risos²)

FUTILIDADES URGENTES

# Greve de trem no Rio de Janeiro não, por favor, genteeeeeeeeeeeem! As principais vias de acesso ao Centro da cidade estão congestionadas. Quem utiliza o meio de transporte, deve ficar atento aos intervalos das composições, que estão mais longos do que o normal. Confira a cobertura do G1. Os motoristas devem consultar o boletim das condições de trânsito na volta para casa.

Beijokas e pipokas!

Anúncios

Um lugarzinho no meio do nada

7 abr

Voltei às minhas andanças em busca de um novo lugar para morar. É, eu sei que essa história pode acabar em pizza, mas juro que se encontrar algo pelo qual me apaixone absurdamente, terei coragem de sair da casa do papai. (Mas só por um tempo, é claro…)

Hoje fui visitar um sítio em Vargem Grande. O ponto final do ônibus 707, que era no terminal rodoviário Alvorada,  agora fica em frente ao Downtown. Fiquei feliz, saltitante e empolgadíssima. As energias estavam muito-mais-que-concentradas no local: até o busão mudou seu curso!

O início da “viagem” foi meio chato. Não gosto dessa selva de pedra que é a Barra da Tijuca. Tudo é tão artificial, que me sinto presa em uma gigantesca maquete de isopor. Tanta perfeição me deixa em agonia. Só fiquei total em paz quando o busão adentrou uma estrada linda, repleta de verde e cheiro de mato. Como não sou nem um pouquinho influenciável, logo pensei “o meu lugar é aqui”. Passados vinte minutos, o que era lindo já havia se transformado num matagal. A paisagem era a mesma, mas o meu olhar…

Gente, para chegar no tal sítio, eu precisava seguir até o ponto final do bus, virar numa rua, depois em outra e caminhar uns 400 metros. E, embora nem tenha muita noção de “quilometragem”, achei que era demais para as minhas pernocas. Vejam só que coisa vergonhosa: assim que passou aquele complexo da Record, eu desci do bus, atravassei a rua e esperei outro para voltar! (risos²)

Ah, gente, por favor! Já tinha passado uma hora e vinte minutos e o sítio não chegava nunca. É, desisti, eu confesso! Mas também devo dizer que amei o lugar, especialmente pela simplicidade das pessoas que vivem ali. É como uma cidade do interior onde todo mundo se conhece. Há muita gente pobre mas, creio, feliz. No ônibus, tinha uma senhorinha *foufa* levando uma galinha para servir no jantar, segundo a própria me contou. Dá pra acreditar? Muito cute cute! É uma pena ser um lugar tão distante do meu dia-a-dia, que se resume ao percurso GáveaBarra. De hoje em diante, sempre que ouvir (e cantar, é claro) aquela musiquinha “Era uma vez”, cantada pela dupla Sandy e Jr, vou me lembrar de Vargem Grande. Para sempre, no coração.

Ps.: Era uma vez um lugarzinho no meio do nada, com sabor de chocolate e cheiro de terra molhada…

Beijokas e pipokas!

Que filhos da PUC!

30 mar

Gente, a cada dia fico mais perplexa com a falta de noção dos meus colegas da faculdade. Não me julgo melhor do que os outros, mas acredito que um pouco de bom senso e maturidade não faz mal a ninguém. Não sei como muitos têm a coragem de entrar na sala de aula com mais de 1h de atraso. Também não entendo porque alguém vai para a faculdade calçando havaianas. Liberdade? Para mim, é uma imensa falta de respeito com o professor, com a instituição e, o pior, consigo mesmo.

Hoje, na aula de Mídias Locais, o Profº. Adair Rocha conduziu um debate interessante sobre as iniciativas da mídia para elevar a auto-estima das comunidades e favelas, levantando a seguinte questão: “Por que só se fala em melhorar a auto-estima dos cidadãos que vivem nas comunidades carentes? Algum de vocês, que estudou em colégios como o Santo Inácio, CEL ou Santo Agostinho, já recebeu ajuda nesse sentido?”. Em outras palavras, ele quis dizer que as propostas da mídia para resgatar a auto-estima das pessoas que vivem na periferia dos grandes centros urbanos são fruto de uma visão assistencialista e dominadora.

No momento em que uma garota decidiu intervir na discussão, todo o papo-cabeça escorreu por água [oxigenada] abaixo: “O que tem o Santo Agostinho? Eu estudei a minha vida inteira nesse colégio e tenho horror aquilo lá. Quase fui molestada várias vezes, por muitos padres safados!!!”. Agora, gente, o segundo que sucedeu sua última frase foi memorável! Todos se entreolhavam como estranhos, completamente chocados com o comentário nonsense da garota. Eu até achei que o problema dela fosse falta de bom senso, mas logo descobri que é idiotice mesmo. No fim da aula, a molestada-girl confessou sua felicidade pela condenação da dona da Daslu porque agora, sim, acredita que haverá uma verdadeira democratização das peças da loja. (!!!)

Para o mundo que eu quero descer, pelo amor de deuso! Burrice me irriiiiiiiiiiiiiiiitá-tá!

 

RECORTAÇÕES PARA NÃO ESQUECER JAMAIS

Fátima entra no ônibus, ostentando aquele barrigão de quase sete meses de gravidez, entrega o RioCard ao motorista e entra pela porta traseira do ônibus. Quando consegue “estacionar” a mochila e a barriga estrategicamente no meio do busão lotado, o motorista desliga o carro e grita para todo mundo ouvir: “Tem uma grávida no ônibus! Não saio daqui enquanto ela estiver em pé”. Os passageiros dos bancos da frente se curvaram para ver a gestante e os que estavam atrás continuaram a olhá-la. Da janela, vendedores ambulantes gritavam: “Vamos levantar, vamos levantar, pessoal!”. Uma senhora cedeu seu lugar e Fátima caiu dura no banco, completamente envergonhada.

 

FUTILIDADES URGENTES

Shannon V., no MopShots

Gente, o que foi a cara da tia Nilzete ao ver o meu cabelo curto como o de um anjinho?! Foi a motivação que faltava para tomar vergonha na cara e deixá-lo crescer novamente. Fiquei inspirada e visitei o MopShots – site que mostra vários cortes de cabelo em 360º. O serviço é interessante, mas decepciona a quem tem cachinhos como eu. Só encontrei UM look verdadeiramente cacheado, o da foto lateral. Agora, se você tem o cabelo lisão, corraaaaaaaa! rs

Finalmente o WordPress colocou o widget do Twitter para funcionar. Yupiiiiiiiii! Agora vocês podem acompanhar tudo o que eu estiver fazendo durante o dia. (Como se o meu dia-a-dia fosse super interessante… Tá, deixem-me acreditar, por favor! Hauhauauah).

Como consigo dormir e roncar em vinte minutos, viajando da Gávea até a Barra? o.O

Preciso muito de uma foto decente, embora acredite que o meu problema seja feiúra mesmo.

Preciso começar a leitura dos livros “Cidade Partida”, de Zuenir Ventura, e “Cidade Cerzida”, de Adair Rocha, com aquela urgência do tipo pra ontem!

O aniversário foi devidamente comemorado ontem com o Príncipe, muita comilança no La Mole e tour pelas vitrines do Barra Shopping! \o/

 

Beijokas e pipokas!

Um método mais que brilhante

24 mar

A entrevista de estágio para a Globo.com foi realizada numa sala de reuniões com um imenso quadro branco cheio de post-its. A minha santa ignorância deduziu logo: “Também teremos uma dinâmica de grupo?”. A risada foi geral e uma das entrevistadoras me ajudou a clarear as ideias: “Essa coisa aparentemente louca chama-se Scrum. É um método ágil de desenvolvimento de softwares”. Ahhhh, agora sim… Mas, gente, aquele matemático John Nash já fazia isso há anos! Não lembram do filme Uma Mente Brilhante?! A diferença é que ele escrevia nas janelas e paredes.

“Scrum é uma abordagem simples aplicada ao gerenciamento de tarefas complexas”. DANILO BARDUSCO – Globo.com

Pelo pouco que já aprendi, principalmente através do blog de Guilherme Chapiewski, pude perceber que com esse método é possível aumentar a produtividade das equipes, maximizar resultados e reduzir custos e burocracias. Comecei ontem o estágio hiper ansiosa para colocar a mão na massa.
FUTILIDADES URGENTES

# Gente, o que é o massageador de cabeça que estacionou na minha mesa?! Uma delícia: relaxa e faz sorrir! Não sei se é meu porque não rolou assim uma entrega oficial… rs Vou aproveitá-lo muito bem enquanto o verdadeiro dono não aparece. Acho que todo mundo aqui tem um desse, pois já vi em várias mesas.

# O que foi a minha “viagem” do Méier à Barra hoje? Put%que$pa*! Quase tive um piripaque por causa do lenga-lenga do 691.

# Hoje o Príncipe irá me entregar um presente de aniversário (29/3). É antecipado porque lá em casa todo mundo tem mania de dar presente antes da data… Somos muito ansiosos! Huauahua

# Eu juro que não vou mais na maldita lojinha de doces aqui do Città América. Ontem foram três pacotes de Mentos. Hoje, balas de coco, Sonho de Valsa e chicletinhos quadrados coloridos. A minha salvação é que não comi tudo… ainda.

# Preciso ir à faculdade, gente. Tenho que reunir forças para elevar o meu cosmo à potência máxima e, assim, acordar todo dia às 5h.
Beijokas e pipokas!